Leia também!

Jogar Tetris bloqueia flashbacks de memórias ruins, diz estudo

Jogar Tetris ajuda a bloquear flashbacks de memórias ruins, de acordo com um estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Os pesquisadores acreditam que o jogo pode ser um meio simples, porém importante para evitar o desenvolvimento da síndrome do estresse pós-traumático, uma doença comum...

Ler Notícia Completa

Microsoft lança plataforma para promover o uso de Minecraft como ferramenta de educação

Minecraft é um game de criação que não para de surpreender com as funções cada vez mais inusitadas que encontram para o game e, se o jogo já está sendo usado até para fazer "pixel art", por que não levá-lo para as escolas? Educadores como Sara Kaviar já estão usando o game como uma ferramenta pa...

Ler Notícia Completa

Professor brasileiro é premiado em programa para educadores da Microsoft

Um professor brasileiro Francisco Tupy foi premiado pelo programa Educator Exchange, promovido pela Microsoft e realizado em Seatle (EUA) no último mês. O evento reuniu educadores de todo o mundo com o objetivo de promover o uso da tecnologia na didática das escolas. O projeto do brasileiro pas...

Ler Notícia Completa

Notícia - Falando Sério

Grandes empresas também querem os games na educação

A tentativa de usar os games no processo educacional vai além da escola e de desenvolvedores isolados. As grandes empresas estão atentas para isso. Um grande projeto de construção de uma plataforma lúdica de educação, que usa os games e a mecânica de redes sociais para o processo de aprendizagem, foi anunciado durante a edição Recife da Campus Party nesta sexta-feira (27). É uma aposta, um esforço conjunto, que une a Fundação Telefônica/Vivo, Natura, Instituto Ayrton Senna e Joy Street.

"A proposta dessa parceria é construir aventuras educacionais inovadoras. Afinal, a educação também pode se inovar, e as tecnologias podem ajudar nisso", diz Adriana Martinelli, coordenadora da área de Educação e Tecnologia do Instituto Ayrton Senna. O projeto ainda não tem um nome oficial e deve envolver cerca de 2 milhões de estudantes a partir de 2014.

O público principal dessa plataforma deve ser principalmente de alunos de 4º ao 7º ano na escola pública, que tem alto índice de abandono escolar. Um dos principais objetivos do projeto é justamente diminuir esse índice e aumentar o desempenho dos estudantes. Mas também deve afetar professores, no sentido de capacitá-los para o uso das tecnologias em sala de aula. "Na plataforma, queremos que os estudantes desenvolvam estratégias para resoluções de problemas voltadas à aprendizagem", diz Adriana.

"A ideia é uma rede social gameficada aliada à conteúdo escolar, que também quer resgatar o papel e a relevância do professor no processo de aprendizagem", explica Fred Vasconcelos, presidente da Joy Street. A mecânica e o uso na edução devem garantir uma forma inédita de rede social gameficada, promete.

O projeto está atualmente em fase de definição, e a partir de agosto deve entrar em desenvolvimento. A fase de testes começa no início do ano letivo de 2014, já com 30 mil alunos envolvidos.


Compartilhe essa notícia

Grandes empresas também querem os games na educação

A tentativa de usar os games no processo educacional vai além da escola e de desenvolvedores isolados. As grandes empresas estão atentas para isso. Um grande projeto de construção de uma plataforma lúdica de educação, qu...[clique e leia na íntegra]