Leia também!

Jogar Tetris bloqueia flashbacks de memórias ruins, diz estudo

Jogar Tetris ajuda a bloquear flashbacks de memórias ruins, de acordo com um estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Os pesquisadores acreditam que o jogo pode ser um meio simples, porém importante para evitar o desenvolvimento da síndrome do estresse pós-traumático, uma doença comum...

Ler Notícia Completa

Microsoft lança plataforma para promover o uso de Minecraft como ferramenta de educação

Minecraft é um game de criação que não para de surpreender com as funções cada vez mais inusitadas que encontram para o game e, se o jogo já está sendo usado até para fazer "pixel art", por que não levá-lo para as escolas? Educadores como Sara Kaviar já estão usando o game como uma ferramenta pa...

Ler Notícia Completa

Professor brasileiro é premiado em programa para educadores da Microsoft

Um professor brasileiro Francisco Tupy foi premiado pelo programa Educator Exchange, promovido pela Microsoft e realizado em Seatle (EUA) no último mês. O evento reuniu educadores de todo o mundo com o objetivo de promover o uso da tecnologia na didática das escolas. O projeto do brasileiro pas...

Ler Notícia Completa

Notícia - Falando Sério

Instituição usa games para recuperar movimentos de pacientes

Se engana quem pensa que os videogames servem apenas para diversão. Em uma instituição de Votorantim (SP) eles são indispensáveis. A Associação dos Deficientes de Votorantim (ADV) atende cem pacientes com deficiência motora e 20 deles encontraram no jogos eletrônicos uma forma de tratamento.

Segundo os terapeutas, o benefício dos games vai além. Os jogos exigem que os pacientes façam movimentos parecidos com os da fisioterapia e da terapia ocupacional, só que de forma mais lúdica. O esforço dos jogadores incentiva a atividade cerebral ajudando no equilíbrio, no fortalecimento muscular, na concentração e na coordenação motora.

A técnica é utilizada há um ano e meio e tem ajudado muito os pacientes. "Percebi bastante mudança. Fora a parte motora, a parte física, o comportamento e também a parte social porque a família participa. Não é só os pacientes, é um momento para a família também", comenta a terapeuta ocupacional Rebeca de Andrade.

Isaac Santos Carvalho, de 8 anos, tem uma lesão na coluna e precisa fortalecer a musculatura das costas. Os jogos têm movimentos sutis que ajudam nesse processo. Após a terapia, é preciso fazer alongamento. Ele conta que no fim da sessão fica até com os braços doloridos.

A paciente Yeda Aparecida Amaral, de 18 anos, diz que o exercício também é diversão. "Tem coisas que eu faço que fico irritada, mas quando jogo videogame ou algo no computador fico mais relaxada, é melhor", afirma.

O coordenador da Instituição, Jeferson Martinez, explica que os games, quando feitos de forma assistida e orientada, só trazem benefícios para os pacientes. "Eles vem pra cá pensando que vão brincar, enquanto os profissionais estão trabalhando o movimento, o equilíbrio, a concentração deles através do uso da tecnologia dos videogames. Pra eles é divertido, pra nós é algo mais pra buscar o melhor para os nossos assistidos".

Instituição usa games para recuperar movimentos de pacientes  (Foto: Reprodução/ TV TEM)


Compartilhe essa notícia

Instituição usa games para recuperar movimentos de pacientes

Se engana quem pensa que os videogames servem apenas para diversão. Em uma instituição de Votorantim (SP) eles são indispensáveis. A Associação dos Deficientes de Votorantim (ADV) atende cem pacientes com deficiência mot...[clique e leia na íntegra]